Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Silêncios

Talvez poesia, talvez nada. Um sondar d'alma e pouco mais

Silêncios

Talvez poesia, talvez nada. Um sondar d'alma e pouco mais

Qui | 30.12.21

Balanço Anual

Maria

 

 

US photographer's quest to solve vintage photo mystery - BBC News

 

Até as flores parecem-me dobradas.
À beira caminho, nos lados das estradas.

No mar a cor viva, está mais desmaiada.
E ao provar as ondas, a carga de sal, arranha a garganta de tão saturada.

Apesar de haver sol, o seu brilho não fere a vista desarmada.
O cinza azulado no céu matizado, antevê uma tarde viúva e gelada.

Enquanto deambulo na natureza fixada.
Estabeleço um balanço daquilo que já é, uma vida passada.

Desejando poder numa tecla deter,
a possibilidade de voltar e simplesmente emendar, ou então apagar.

Erros possíveis, lembranças terríveis.
E a fé que depus em tudo que acabou, reduzido a nada.     

 

 

2 comentários

Comentar post