Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Silêncios

Talvez poesia, talvez nada. Um sondar d'alma e pouco mais

Silêncios

Eu de Espuma

24.08.22, Maria Soares

 

 

Jovem se sentindo sozinha e triste olhando para o mar em um dia sombrio |  Foto Premium

 

Eu quero morar nas ondas.
Ter uma casa de espuma.
Fazer de sal o meu leito.
Mirar-me ao espelho na Lua, 
com um fio de conchas ao peito,
vestida apenas de areia, perfumada de maresia pura.

 

Quero ser uma gaivota
volteando em Céu aberto.
E transformar-me à noitinha,
quando o Sol abandona o dia
p'ra dormir,
sob o meu tecto.

 

Eu quero ser uma Estrela,
que tombou em pleno mar.
Uma Sereia a apanhou
com ela o cabelo  enfeitou,
parecendo,
o sol a brilhar.

 

Eu quero ser como a chuva.
Que cai mansa sobre a Terra!
Acariciando as árvores com beijos
e realizar os desejos,
a quem sem a ter,
desespera.

 

Quero ser noite avançada.
Onde só o silêncio ecoa.
Passos soltos na calçada, ao encontro da madrugada...
Tendo por companhia a si mesmo,
sob a luz do candeeiro,
a minha sombra e mais nada.