Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Silêncios

Poesia

Silêncios

Poesia

29.12.20

O seu a Seu Dono

Silêncios

 

 

Katia Abrego (@AbregoKatia) | Twitter

 

Hão-de estar em algum sítio...
Um par de asas, abandonadas.
Suspensas no ar, sem fios.
À espera...
De quem as há-de tomar nas mãos,
ajeitando-as ao dorso.
Até lhes achar o jeito, sentir o conforto.
Fazendo-as suas.

Nessa altura...
Não há mais um anjo no céu!
Só menos um Ser humano na Terra.
Munido de asas, no Eterno.
Um Ser...
Que deixou para trás o casulo.
Da lagarta que era...
Se tornou borboleta. 

 

 

2 comentários

Comentar post