Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Silêncios

Poesia

Silêncios

Poesia

24.11.20

Pó de Ouro

Silêncios

 

Pin em Luzes de Natal

 


Beijada por uma chuva miúda.
Parece que a minha janela chora, não sei porquê.
Iluminada, faz inveja as estrelas.
Dá gosto vê-la.

 

Salpicada por gotas minúsculas douradas...
Pelas luzes reveladas, 
lembra pó de ouro espalhado, por todo o vidro molhado.
Que lindo quadro...

Talvez os estalidos da chuva na vidraça.
Sejam um pedido de abrigo.
Como quem grita... ó da casa!
Queremos passar a noite contigo.

 

A luz fenece... reaparece...
Já não chove, foi-se o choro.
Mas as gotas lá deixadas, p'las luzes reveladas...
Continuam a brilhar como pó, de fino ouro.